Translate

terça-feira, 16 de novembro de 2010

Serra Gaúcha : VELHO AMÂNCIO, resgatando a infância ...



Santa María desde la Garganta del Diablo. RS





São resgates da memória do vinho de mesa...



















            Resgatando memórias da infância em ITAARA que se trata ''microregião de Santa Maria'' (coração no mapa * do estado do Rio Grande Do Sul) , declarado município turístico, é mais conhecida por sua serra, a situosa estrada do Perau que dá acesso natureza a dentro, onde percebe -se bem a atmosfera de origem alemã que predomina o local tanto refletido nas influências arquitetônicas em suas casas, mansões e pequenas hotelarias, quanto marcado pela cultura e o clima . Tratando -se de um vale no topo de Santa Maria, até mesmo no verão de Itaara preserva -se o frescor de mata fechada, ainda bem porque o verão de lá sem praia a menos de 1000km é duro suportar .
         Há mais por serra dentro, sete cascatas incríveis, muitas trilhas, abismos consideráveis como a Garganta do Diabo onde já fiz muitos rapéis e também é vista por todo arredores pequenas culturas da uva Isabel e Niagara !

          Na região sul como se sabe além da Casa Valduga e da Miolo, há rótulos da Don Laurindo (Vale dos Vinhedos, na Serra Gaúcha), da Marson (Cotiporã, Serra Gaúcha), da Dal Pizzol (Bento Gonçalves, Serra Gaúcha), da Lídio Carraro (Vale dos Vinhedos, na Serra Gaúcha) e da Salton (fabricada no Vale do Rio das Antas, em Tuiuty, distrito de Bento Gonçalves) e também da Velho Amâncio (Rincão dos Pires, em Itaara, RS).


       Entre as sugestões de rótulos , estão o Don Laurindo ancellota reserva (elaborado a partir da seleção das uvas italianas ancellotas, a R$ 54,45), o Don Laurindo Gran Reserva (de safras especiais com uvas tannat e ancellota, a R$ 139,50), o Velho Amâncio Garganta do Diabo Gran Reserva (cabernet sauvignon maturado em barricas de carvalho francês novas, a R$ 83,85). Os rótulos sugeridos, especialmente os dois primeiros, harmonizam-se bem com a paleta de cordeiro ao forno com batatas coradas (R$ 56,90, para duas pessoas), com o javali grelhado ao molho de funghi porcini (R$ 49,80, individual) e queijos fortes.


       Na Maison D’Argent, os destaques são os rótulos nacionais produzidos pela Dal Pizzol e pela Miolo, na região da Campanha Gaúcha. Da Dal Pizzol, vale apontar o Touriga Nacional (elaborado com a variedade portuguesa que dá nome ao rótulo e que tem sido bem aceita no país, a R$ 45) e o Assemblage (combinação de uvas cabernet sauvignon, merlot e ancellota, a R$ 76). Para quem quiser degustar o vinho da região da Campanha, há os rótulos da Miolo, da linha Fortaleza do Seival (tempranillo, pinot grigio ou sauvignon blanc, de R$ 24 por R$ 18 cada) ou da linha Quinta do Seival: Castas Portuguesas (feito com touriga nacional, afrocheiro preto e tinta roriz) e o Cabernet Sauvignon, ambos envelhecidos em barrica de carvalho francês e a R$ 57 cada.












               Mas voltando a Serra da minha infância querida, não só de beleza natural é feita, como já disse há estrutura exemplar que aguardam tanto o santamariense que sobe a serra para curtir um fim de semana tranquilo quanto o turista que vem de longe do sentido Porto Alegre à fronteira do Uruguai, com destino a Dom Pedrito, Estância Guatambu Vinhos Finos , isto mesmo , é um trecho do caminho que segue a rota enoturística da região.
















































Acesso pela Estr. do Perau, 6 km
tel: (55) 3225-5503
Horário: 2ª/sáb 9h/12h, 14h/19h, dom 15h/19h
Vinho direto do produtor para quem prefere o sabor mais suave e adocicado das uvas de mesa (isabel e niágara, R$ 6) ou a bebida mais encorpada e seca (cabernet sauvignon, merlot e pinot noir, R$ 11 a R$ 26). A cantina passou a fabricar também os espumantes brut e demi sec (R$ 20 a R$ 25).

http://www.velhoamancio.com.br/



Touché!