Translate

domingo, 28 de novembro de 2010

Território Vinícola Brasileiro


Vale do Rio do Peixe
Localizada no Estado de Santa Catarina, latitude de 27ºS, longitude 51ºW, altitude 600-800m, esta região apresenta como indicadores climáticos médios 1.800mm de precipitação anual, temperatura 17,1ºC e umidade relativa do ar de 80%. A viticultura ocupa cerca de 2.200 hectares. Apresenta grande similaridade com a Região da Serra Gaúcha quanto à estrutura fundiária, topografia e tipo de exploração vitícola, baseada no uso da mão-de-obra familiar e voltada à produção de uvas, em sua maioria, para a elaboração de vinho de mesa e suco de uva. A cultivar Isabel ocupa cerca de 75% da àrea de vinhedos, seguida por outras cultivares de Vitis labrusca e híbridas interespecíficas como Niágara Branca, Niágara Rosada, Ives e Couderc 13. Predomina o sistema de condução em latada e a densidade de plantio situa-se entre 1.600 a 3.000 plantas por hectare. Nesta região, a produção de uvas viníferas não chega a 5% do volume total produzido, entretanto há a manifesta intenção de produtores tradicionais de vinhos de mesa migrarem para a produção de vinhos finos.

Região Sul de Santa Catarina
Com latitude de 28ºS e longitude 49ºW, esta tradicional região vitivinícola, compreende vários municípios inclusos na bacia hidrográfica dos rios Urussanga e Tubarão, são eles: Cocal do Sul, Criciúma, Forquilhinha, Içara, Lauro Muller, Morro da Fumaça, Nova Veneza, Siderópolis, Treviso, destacando-se como principais produtores vinícolas os municípios de Urussanga e Pedra Grande. A região possui como base da sua produçâo vinhos brancos da variedade híbrida "Goethe";. A área vitícola da região é de cerca de 90 hectares, distribuídos entre estabelecimentos de estrutura fundiária baseada na agricultura familiar.