Translate

sábado, 19 de março de 2011

Vinhoterapia,sempre me pergunto SE moda passageira!


Existem no vinho cerca de mil substâncias variadas das quais com reconhecido valor medicinal.
Nos anos 80 a OMS – Organização Mundial de Saúde, verificou que os franceses, além de acumular outros fatores de risco como o uso do fumo e o sedentarismo, ingeriam gorduras saturadas em maior quantidades que habitantes de outros países e mesmo assim não sofriam tanto de doenças coronarianas e, então, confirmou-se o fenômeno Paradox Français, evocando o diferencial da presença, na dieta francesa, do consumo diário do vinho.
O mito de que “o vinho tira a gordura do corpo e lava as veias” é confirmado hoje pela ciência, pois efetivamente o vinho eleva os níveis do colesterol HDL e limpa as artérias. Contém praticamente todos os elementos indispensáveis a vida: água, matérias minerais (potássio, sódio, fósforo, magnésio, ferro), além de variadas vitaminas (A, B1, B2, B4, B5, B12 e C, entre outras).
Os principais responsáveis pela virtude do vinho – os polifenóis - existem no reino vegetal para defender as plantas dos ataques físicos (raios UV do sol) e os biológicos (vírus). Em virtude do clima do Rio Grande do Sul (quente e úmido) propício ao desenvolvimento de fungos, acredita-se que as videiras aumentam a produção de polifenóis o que torna o vinho gaúcho pródigo em virtudes terapêuticas.
Por serem fermentadas na presença de cascas e sementes das uvas – diferentemente do que ocorre em relação aos brancos – os vinhos tintos são mais ricos em polifenóis e agregam maiores qualidades terapêuticas independentemente de serem suaves, secos ou demi-secos.

Os Polifenóis
Os polifenóis são estruturas sólidas, microscópicas que dão consistência ao vinho. As propriedades medicinais do vinho devem-se principalmente à duas ações dos polifenóis: o marcante efeito antibiótico e pelo efeito antioxidante, o que os torna eficazes eliminadores de radicais livres.
Os polifenóis ajudam a baixar LDL (colesterol ruim) e aumentar o HDL (o bom). O revesterol, um dos cerca de 200 polifenóis encontrados no vinho, é o que tem a mais potente ação antioxidante. Dentro das várias aplicações profiláticas e terapêuticas ressalta-se que o vinho age também como diurético, vasodilatador periférico, anti-depressivo, desinibidor, relaxante e grande evocador de otimismo.
Segundo o Francês Leon Douarche, “O vinho é o melhor elixir que já se inventou para assegurar uma vida longa, com melhor qualidade”.
A França tem sua culinária gourmet calcada em um bom vinho, mas esta bebida vai além do prazer da degustação. Quando ingerida habitualmente, com moderação, ela promove saúde e reduz o risco de doenças cardíacas, entre outras. E seus benefícios não param por aí. As propriedades do vinho tinto também podem ser aplicadas em favor da beleza através da Vinhoterapia, um tratamento que se baseia no calor e na ação de determinadas substâncias presentes no vinho para proporcionar a redução de medidas corporais. Aplica-se também aos tratamentos de beleza as propriedades de seus polifenóis, potentes antioxidantes, no retardo ao processo de envelhecimento.
Esta técnica, que já é sucesso na França, consiste na aplicação em todo o corpo de vinho quente misturado a outras substâncias para induzir a termogênese, uma reação natural do organismo para manter o equilíbrio térmico e, desta forma, garantir seu perfeito funcionamento. Nessa terapia é mantida uma fonte térmica externa que obriga o organismo a aquecer internamente para se harmonizar com o exterior. O calor necessário é obtido através da queima de gordura.
Além da termogênese, a técnica ainda aproveita os benefícios de algumas substâncias presentes no vinho tinto, entre elas os polifenóis, que são substâncias 10.000 vezes mais eficazes que a vitamina E, podendo reduzir em até 85% os radicais livres, que são os maiores responsáveis pelas rugas causadas por diversos agentes como o sol, cigarro e poluição, além de hidratar e revitalizar a pele. Este antioxidante, o principal responsável pelas propriedades do vinho na prevenção de algumas doenças, consegue retirar células mortas, deslocar placas de gordura e acelerar o emagrecimento. Reduzindo medidas, por meio de grande eliminação de líquidos naturais, os quais promoverão a desintoxicação orgânica.






Concluímos que a Vinhoterapia não é moda passageira, mas sim, uma possibilidade terapêutica de grande valor, acessível, prática, com resultados surpreendentes e que associada à massagens específicas proporcionam ao cliente bem-estar físico e mental.

Fonte: Prof.a Cristiana B. Psendziuk
Professora, Especialista em Cosmetologia, Estética e Medicina Tradicional Chinesa