Translate

sexta-feira, 10 de agosto de 2012

“GUERRA GAÚCHA”,matéria debatendo a estratégia de alguns ...

Impostometrô


O caderno COMIDA, da Folha de S. Paulo, estampou na capa outro dia a “GUERRA GAÚCHA”,matéria debatendo a estratégia de alguns grande produtores brasileiros de tentar coibir a concorrência. Compartilho aqui algumas das informações publicadas:

A Chef Roberta Sudbrack(do Rio) retirou do cardápio os vinhos das vinícolas que estão por traz da petição

Outros estabelecimentos estudam fazer a mesma coisa: Rei dos Whiskys e Vinhos, Tasca da Esquina (São Paulo)

José Zuccardi, da bodega mendocina Familia Zuccardi (que se beneficiaria pela medida): “Isso vai contra o desenvolvimento dos próprios vinhos brasileiros. (…) O vinho importado pode estimular o crescimento do mercado para os vinhos brasileiros”

Antonio Soares Franco, produtor do português Pequetita: “Foram os importados que promoveram a qualidade do vinho brasileiro. É uma guerra que ninguém sai ganhando”

Ciro Lilla, Importadora Mistral: “O mais provável é que todo mundo beba mais cerveja, o principal concorrente do vinho”

Roberto D’Ávila, Importadora Ravin: “o pequeno produtor brasileiro também é massacrado”

Eduardo Angheben, da Vinícola Angheben: “ a salvaguarda é pleiteada por um grupo de companhias que concentram o mercado”

A Salton retirou seu apoio à petição, depois da reação dos consumidores, considerando que “restringe o livre arbítrio dos Consumidores”

Carina Cooper, Sommelier da Salton: “Os vinhos no mundo não são iguais. Cada um tem uma história, uma uva, um estilo”


Eduardo Fleury, advogado e economista: “A participação dos importados cresceu de 2009 para 2010. A queda do vinho brasileiro é explicada pela Embrapa: a seca de 2010. De 2010 para 2011, a produção nacional cresceu”





Fonte: http://belacepa.com/2012/03/28/os-impostos-do-vinho/http://belacepa.com/2012/03/28/salvaguarda-vinho-importado-boicote