Translate

domingo, 14 de outubro de 2012

Os investidores chineses estão de olho nos Crus de Bordeaux e da Borgonha!

Creditos: Sebastian SORIANO/Le Figaro

        O campo de Gevrey-Chambertin foi vendido 8 milhões o proprietário de um cassino em Macau.
        A reportagem do jornal  ''Le Figaro''  é: '' Pourquoi doit-on vendre nos domaines aux etrangers? ''
        Como diz a reportagem já há cinco anos atrás, em Bordeaux , chineses já compravam castelos nas regiões de áreas pequenas mesmo, como Latour-Laguens , adquirida em 2008, Richelieu em 2009 e Lafitte Chenu, em 2010. No início de 2011, os investidores de Hong Kong compraram o castelo Viaud de 20 hectares em Lalande-de-Pomerol uma propriedade de Philippe Raoux, um comerciante local e também é proprietário da vinícola, de um resort nos arredores de Bordeaux, e do castelo de Arsac em Margaux. Então, em 2011, a torre Pey-Berland localizado no Moulis,foi vendido por cinco anos com oito quartos de hotel e um hectare de vinha, e claro por um comprador chinês.
Quanto ao Lucas castelo , ''Castillon'' , com uma dezena de hectares, ele foi vendido para um arquiteto, também chinês , que já era dono de um vinhedo perto de Pequim. Uma transação avaliada em um milhão de euros!!!
         Mais recentemente, o castelo Bellefont-Belcier um ''classé cru'' de Saint-Émilion com hectares 13 - confirmada a sua classificação em 2012 - mudou de mãos! Compradores do Reino Médio começaram a pensar grande. No entanto, se contarmos, para apenas 30 propriedades em chinês são oito quilômetros da região de Bordeaux , que ainda é pouco e distante perto dos 45 áreas belgas, por exemplo.
         No entanto, o fenômeno está se acelerando, como apontado Xiang Gao ( o tastespirit.com site chinês) Segundo o site chinês: "Eu sei que muitos investidores que estão dispostos a pagar um monte de dinheiro para adquirir grandes propriedades e principalmente crus. "
O movimento está apenas começando. Bordeaux muito acolhedora esta se tornando ''a onda'' do surto de investidores. Muitos classificam Médoc evidenciada pelo seu número de aquisições e nome como os castelos ''Talbot''  ''Palmer'' ,'' Cantenac-Brown'' e outros'' Lynch-Bages'' . Seus vinhos são exportados para mais de 90% e é normal que os compradores de países estejam interessados ​​em comprar o imóvel para ontem, assim como os ingleses, os holandeses e os belgas , hoje, e agora são os o chineses: '' A roda gira '' .


FONTE: http://avis-vin.lefigaro.fr/magazine-vin/o33230-pourquoi-doit-on-vendre-nos-domaines-aux-etrangers#ixzz29HtqiMCb


Touché!