Translate

quinta-feira, 31 de janeiro de 2013

O que diz a BOCA além de palavras? Por Nádia Jung.





     Sentindo os aromas com o PALATO!




         A prática é alguns mecanismos em uso para beneficie da degustação, então  lá vai:

     Sorva um gole de vinho, o suficiente para prende-lo na boca. O bastante para envolver a língua e senti -lo. Próximo passo, é franzir os lábios, inspirando o ar entre eles e deixando passar por cima da língua, o objetivo disso é a liberação dos compostos voláteis. Depois disso passeie  pela boca     forrando - a, e com isso sinta os sabores, a textura e após isso engula - o ou cuspa-o conforme interesse.

Com isso pretendemos, sentir pelo palato; o céu da boca. Por aí nos referimos ao sabor do vinho.

Não é tão difícil isso se nos concentrarmos, e como diz um amigo meu colega de trabalho: ``também não é para nenhum leigo botar defeito`` , rio!


A língua registra 4 básicos sabores: Doce, azedo ou ácido, amargo e o salgado, e todo mundo sabe por experiência própria sabe bem onde pegam estes em sua língua.

O vinho ao ser bebido, primeiro vai atingir a parte anterior da língua, logo pois vai sentires a doçura.O gosto e o azedinho vem depois, e em seguida o amargor, lá no final.









      - E o que dá o doce do vinho? O açúcar da uva não - fermentada, ou o açúcar residual.
E todos tem esse açúcar? Desde vinhos como o sauternes que levam mais do que os outros até  o Chardonnay californiano, estes caracterizados como secos,  tambem levam algum teor desse açúcar, porem a sensação de seco se sobrepõe ao açúcar.








Falando de acidez!

       Um vinho `refrescante` tem altos teores de acidez. Já sabor fraco e insonsso, tem teores mais baixos.
A acidez preserva o vinho no processo de envelhecimento, os brancos jovens que estao predestinados a longos períodos de envelhecimento na garrafa, podem apresentar teores extremamente altos quando jovens por isso. A acidez ela nao se perde com o tempo, mas pode sim adquirir um formato mais redondo, suave.  Quanto maior é o açúcar residual no vinho, mais acidez ele precisara ter para atingir o equilibrio. Um vinho seco e leve pode ter mais acidez do que um vinho doce, mesmo se o vinho doce tiver  teor de acidez mais alto, saiba que aí azedume é um defeito.




  


    Amargor  como é?


         Não pode se CONFUNDIDO com `adstrigência` que a que provem do tanino, mas se este amargor aparece exagerado, hum.. então vai mal! Sinal que pode ser de? `` defeito`` Eu disse ``pode``. Aquele vinho avinagrado, por exemplo.
Se ocorrer   um toque* de amargo então é aquele que resulta do carvalho, o que não é comum, consequencia de um barril não curado devidamente.

A espinha dorsal do vinho é o tanino e a acidez, estes precisam estar afinados com a doçura e o frutado para se atingir o `equilibrio`, pois se este for só tiver acidez e tanino será um vinho `grosseiro`, caso contrário se somente dor doce e frutado será fraco!

Tanino é um dos componentes essenciais do vinho. Se detecta pelo formato adstringente, ``secante`` que ele dá a nossa boca. E uma comparação ao como é o tanino, digo sempre que é feito chá forte e frio!

Mas no tanino esta o indicador de MATURIDADE. O jovem apresenta um tanino mais agressivo, do que o maduro, que por usa vez se trata de um vinho mais macio.

Bem esta entre os  objetivos dos produtores fazer um vinho jovem e com texturas aveludadas e ricas.

O corpo, esta se referindo a `impressão de peso e tamanho` na boca, e isso se dá quanto ao teor alcólico,quanto mais alcool mais cheia parecerá a sua boca!

A idéia é seguir esses lembretes e treinar para seguir pronto e até a próxima degustação!










Viva o Vinho !