Translate

sexta-feira, 8 de fevereiro de 2013

Nebbiolo, Massolino` 1989 , Serralunga d'Alba


  Foto acima na senzala da Casa da Fazenda no Morumbi, São Paulo/BR.









Em degustação promovida pela Importadora Grand Cru, houve a vertical de 3 Crus de Barolo Massolino, incluindo a Vigna Rionda` 1989 !!! 





      Tudo começa em Serralunga d'Alba, povoado que fica  dentro de uma região montanhosa, Langhe/IT.
          Região cercada por montanhas a  414 m. nível do mar onde qualquer viticultura é heróica ali.
Sua singularidade em beleza se toma através de suas colinas cobertas de vinhas e alimentos de qualidade, principalmente trufas, atraindo compradores em Piemonte.
E não só isso, a demanda por residência local vem crescido, com terras e videiras na região a venda a infra-estrutura tem ganho notoriedade.

      Um pouco sobre a história e cultura regional que data o século XIV; que através da família de banqueiros que se basearam as atividades comerciais , desde essa época o que marca como patrimônio histórico é  o castelo  construído entre 1340 e 1350 pelo Marquês Falletti de Barolo.

      Da família Massolino, Sr. Franco quem dá a continuidade na quarta geração da família. Mas tudo começou neste povoado através do Sr. Giovanni Massolino, viticultor responsável em grande parte do progresso do povoado apenas com  500 habitantes.

































  

              Dos vales montanhosos, sobre o cultivo existe um centro de Investigação para a proteger e valorizar a viticultura de montanha (www.cervim.it) que identificou que o modo de cultivo da vinha passa a ser `` heróica`` levado em consideração a série de parâmetros objetivos e mensuráveis ​​, ou seja, não ligada a valores como a história e as características da produção econômica ou sociológica de área.

       Os vinhos de montanha são vinhos produzidos em um ambiente muito diferente da encosta, onde a paisagem é, para muitos de nós "a paisagem vinho``. Nas encostas há uma viticultura que cresce em terreno rochoso, ao invés de areia, que vive em coabitação com outras culturas e mais frequentemente com grandes extensões de terra florestada, ocupando pequenas porções de território íngreme, domados com dificuldade.












           Voltando ao vinho, ao Nebbiolo do Massolino!

      Nebbiolo é a palavra italiana para "nevoeiro", que regularmente encobre os vinhedos do monte da região do Piemonte, durante a colheita. E´ uma casta que tem bruta resistência, ou seja, é responsável por alguns dos melhores e de mais longa duração de vinhos tintos da Itália, por essa razão provamos de um 1989 bem especial.
       No entanto, apesar dessa característica, a uva Nebbiolo, nativa da região do Piemonte, no norte da Itália, raramente triunfa no exterior, ou até mesmo fora do Piemonte . E´ uma variedade do final de amadurecimento que goza os verões amenos e outonos longos do Piemonte e da Lombardia, que exigem tempo de maturação, tanto quanto possível para equilibrar a sua acidez natural elevada. Muito parecida com a Pinot-noir, nesse caso.

        Seu vinho esta sujeito as suas principais características. De cor rubi, até granada. Fragâncias que combinam notas frutais (de framboesa) e notas etéreas e picantes ( de baunilha, canela ).
 Durante seu envelhecimento atingem elegância e complexidade (estrutura e elegância).
   
      No paladar, revela taninos moderados e corpo muito pronunciado.






              Um evento marcado pelas degustações paralelas, desta vez com uma vertical de Crus de Barolo Massolino e uma degustação às cegas de grandes rótulos Bordeaux Grand Cru Classé 2009.


Aqui algumas fotos:


JungOlhares -




Viva o Vinho!