Translate

domingo, 17 de março de 2013

Olhos de Comer Fotografia: Uma Noite e dois Bistrôs!








Da janela da rua para o primeiro andar, um pormenor com Luciana, na foto.


Um dos assuntos em pauta da noite acabou sendo o que lamentavelmente existe: o desaparecimento das antigas construções para abrir passagem ao progresso inescrupuloso do mercado imobiliário desordenado...

(Um bairro como consolação que me oferecia a fama e, ao mesmo tempo, o término da minha alegria. Desde então todos os meus olhos me comem. Maldito mercado imobiliário!)

... Desordenado porque esta passando por cima da história, engolindo o charme das ruas dos bairros da Paulicéia, levando embora a autenticidade, a beleza mais glamourosa: a que remonta uma parte do século. E nos pegamos discutindo isso depois de conhecer dois bistrôs de casas antigas que ficavam próximas ao casario demolido, mais uma história desde 1890 para um prédio de alguns muitos andares...Ok!

Só para dizer o quão triste viver sob a batuta de gente assim, e nessa `confraria de trouxas`, quem paga a conta?
Saio da indignação para  dizer que a noite que foi maravilhosa, terminou na velocidade de um flash...
Noite fresca depois de uma deliciosa garoa, e eu cedi aos meus anseios fotográficos, pois dois lugares bacanas, não podia deixar de registrar: um ao lado do outro!

Otto Bistrot, na  Pedro taques,141  e o Papillon de Nuit na Fernando Albuquerque, 255.
-Em comum?
Ambiente intimista, por isso acolhedor, cheio de detalhes, de intervenções artísticas, e toda a inspiração francesa que acompanha o significado da palavra Bistrot!


 “Bistrot” tem origem francesa, embora exista uma lenda afirmando que ela seja de origem russa. A lenda surgiu devido à existência da palavra “bystro” no idioma russo, e afirma que o vocábulo teria se difundido em Paris durante a ocupação russa de 1815. Os soldados russos iriam aos restaurantes e para que a comida fosse servida gritavam “bystro, bystro” (“быстро, быстро”), que quer dizer “rápido, rápido”. Entretanto, a verdadeira origem da palavra é desconhecida.



Detalhes nas paredes do OTTO.



          Bem no OTTO aconteceu o encontro da turma do Sketchprop, já comentado brevemente no post anterior.
      Presenciar esse universo fantástico dos talentosos ilustradores, desenhistas,  mostrando o momento da criação, concepção e expressão de idéias e conceitos é um presentaço, e ver gente como Iara Furuse, Fabio Corazza, Andréia Vieira, Victor Farat, completando o panteão de feras na arte já abriu a noite!


De fora da janela, clicado Fábio Corazza, modelando para as ilustrações.



Andréia Vieira, ``aquarelando`` seu desenho sobre minha pose!














     Na verdade, a anfitriã do OTTO, a portenha Luciana, também fotógrafa e super atenciosa  bateu um papo comigo sobre arte, vinhos,  cultura e São Paulo, super agradável me permitindo entender o conceito da idealizadora e chef Bia Goll:

``Receber as pessoas em casa, servindo uma comida caprichada,  num ambiente descontraído`` 

    Bem, a ideia é não ter cardápio, e sim uma conversa da própria chef  com o cliente, sabendo das suas preferências e preparando a refeição ao seu exato gosto, o que a torna única e extremamente pessoal. Nesse sentido, o Otto Bistrot trabalha com conceitos de comfort food, slow food e sustentabilidade, Comfort food é uma comida tradicional com fundo afetivo-emocional. Ela evoca lembranças agradáveis, normalmente ligadas à infância ou a uma história de vida, fazendo, assim, do ato de comer uma experiência extremamente prazerosa e especial. Já o Slow food é um movimento fundado pelo chef italiano Carlo Petrini em 1986, com o objetivo de promover uma maior apreciação da comida, melhorar a qualidade das refeições e uma produção que valorize o produto, o produtor e o meio ambiente; protege identidades culturais ligadas a tradições alimentares e gastronômicas e técnicas de cultivo herdadas por tradição. A filosofia da Slow Food defende a necessidade de informação do consumidor - entender de onde a sua comida é proveniente, quem faz e como é feita -, a reeducação do sabor e a redescoberta do prazer de alimentar-se bem.























        Luciana e eu conversamos sobre nossas preferências por vinhos de determinados países, e foi bom saber que o vinho é algo além do  `fazer parte` do trabalho cujo ambiente é gastronômico, mas também marca no gosto e na vida, no caso, falo dela! Os vinhos que atualmente o bistrot oferece são pela Bodega Barberis, ótimo produtor e  custo & benefício*, o Cava Negra é o argentino de Mendoza!








                                                                                                              

O Show ficou por conta do repertório de canções francesas, verdadeiros clássicos!


De Iara Furuse Abigalil - Na Ilustração: Rafael Nascimento


De Iara Furuse Abigalil - Na Ilustração: Tati Pereira



Allégresse, chanson française  

voz - Tatiana Pereira
violão na versão “de poche” - Rafael Nascimento




Otto Bistrot
ottobistrot.blogspot.com.br
Rua Pedro Taques, 129
Consolação – São Paulo
(11) 3231 5330
twitter @ottobistrotsp
e-mail ottobistrot@ottobistrot.com




Mais Fotos? Clicar







Sobre o Papillon de Nuit daqui algumas horas...





Anotações: Sobre origem da palavra Bistrot (a fonte é do blog do Otto Bistrot). Sobre os casarios: Sim é verdade que se continuarem ``abatendo`` a história, só o que vai acarretar é a lonjura de um lugar anônimo de reconhecimentos, sem pouso de memórias, sem sentimento no peito. - Já pensou eu acordar e não achar minha alma? Ela, a Paulicéia!





Viva o Vinho!