Translate

quinta-feira, 11 de abril de 2013

CASA VALDUGA, DESDE 1875! Uma Família...



       Bem, `diário fotográfico` de bordo avisa aos navegantes do Mundus Vinus:  um registro vale muita mais que MIL palavrinhas...
      A começar pelo Iate Clube de Santos, ( ICS ) na avenida Higienópolis detalhe: região CENTRAL da minha Paulicéia a(l)mada, quantos lugares eu espero conhecer ainda como esse(...), foi onde `A Casa Valduga` celebrou com seus amigos, naqueles salões requintados de VIDA, assim como também só ela  transmiti, com todo o tradicionalismo familiar a sua marca.

      ``Portão a dentro do clube``, somos  ``acompanhados`` pelo som delicioso das águas dos jardins da entrada, que nos gera aquela sensação de que se esta forá da zona urbana agitada de São Paulo. Já começa o ritual de (re)descobertas... 
       `De cara` , a CASA VALDUGA afirma mais uma vez é muito família, é tradicional, é bonita... Logo ao `desembocar` no primeiro salão com a  recepção agradabilissíma pelos amigos dessa família que já apresentam o local como se fosse a própria casa, só me faltando tirar os sapatos na porta e me acomodar. Lá vem estórias! Estar perto destes é saber que vai ouvir uma dezena delas. E boas! Vi gente pedindo para que elas fossem contadas pelos nossos ``colonos``, agricultores, empresários, viticultores ou como quiser entender assim, os irmãos Valduga!
Sensacional esse espirito que nos absorve desde a escolha do Iate Clube, ao ambiente que nos obriga a sermos mais informais pela sugestiva proximidade  que proporciona a Casa Valduga, e tudo detalhadamente executado, uma cena mais preciosa que a outra, um pormenor mais colorido que o outro.












    ``Aquele salão estava mesmo gritando  cheiros, aromas, cores, sabores e totalmente atraente pelo cheiro sedutor do café. ``




A Casa Madeira, um luxo de apresentação sensorial! Aquele saguão dos deuses estava mais para paraíso (sem contar mais um daqueles fabulosos espaços internos do `Iate Club)` que comandava os irresistíveis produtos que a família se estendeu a comercializar entre sucos naturais, orgânicos, integrais, creme de balsâmico e vinagre balsâmico, pois ela parece aproveitar mesmo o Terroir das uvas.





           Vinck, uma promotora eficiente tratou de nos dar mais uma ``viagem`` inserindo-nos as sugestões de harmonizações praticadas com as geléias únicas, e com isso foi mais uma  brava experiência: BAVAROSE DE CAFE, com caramelo e grapa!Hummm... Outra: Mousse de chocolate com geléia de abacaxi. A geléia de abacaxi ficou na imaginação, assim como a geléia de morango que é `docemente` apimentada com um lombo de suíno,  quando falamos mais sobre a de Hortelã como iria bem com carré de carneiro... Já pensou na textura e no ótimo sabor? ``Gracias`` Vinck, mas eu não sei se precisava sofrer tanto assim, salivei!
Boas dicas!

Voltando ao elegante segundo salão onde cada mesa compunha uma sugestão e que, me perdoe o ``regime`` sob minha ditadura, mas os cheiros mais uma vez e sem contar o visual já me consumiam antes de provar um pouco de cada coisa! Camila, a responsável dessa organização, recebeu meus parabéns até porque me guiou até a saída dos pratos sendo bastante gentil para com minhas fotos!  

O picadinho de filé com palmito e banana da terra acompanhado com farofa  de castanha de caju, recebeu minha benção! Amém a todos os outros pratos que falaram com beleza, e requitaram ainda mais o brilhante evento.

Do outro salão: a ala dos espumantes! É de um equilíbrio perfeito entre rusticidade emoldurado por plantas e modernidade com amplos janelões de vidro com vista e luz, cuja a mesma ``fala``e se comunicou bem com a tarefa árdua de toda prova feita ali! Mais uma vez a Valduga naquilo que faz tão bem: os detalhes, que correspondem bem o sucesso que foi esse primeiro evento solo do ano 2013!









          `` De cor rubi, passagem por barrica francesa, na parte degustativa, bom ataque, taninos elegantes muito delicados``




                  E voltando ao almoço à selecionada imprensa, foi ali presente a primeira prova do Pinot pelo enólogo da CASA e foi muito bacana a apresentação e explicação, porque é sempre bom contar com o relato do profissional e juntando com relato de todas as experiências do que foi sentir-se nesse `seio vitivinícola` familiar, te digo que entram na dança da chula até os sommeliers que não são gaúchos de origem, mas de pura alma!  ` Né Daniel Mistico` !? 



Daniel Mistico, o apaixonado pela cultura do vinho!


João Valduga, dedicando o livro integrante do Projeto Cultural ``Storia Valduga: da imigração a elite do vinho`` com o jornalista César Adames 


Juarez Valduga, grande personagem do Vinho brasileiro...




Souvenir da Casa!



Com a competência do Sommelier Renato Lutgens, super alegre e assertivo!




A super Debora Takushi Oliveira (CONFRARIA DAS AMIGAS)  e a competente Alessandra Cassolato (CH2A)


  Ricky Tomasi, Família Casa Valduga!


Convidados especiais!