Translate

domingo, 28 de julho de 2013

A favor da Brasilidade: Cachaça é cachaça e ponto!





      Há algum tempo  que não voltava às cachaçarias onde tem sido escola melhor que qualquer aula vista por aí - minha opinião.

    Bem, estava a fim de mostrar isso para as ``sommelière cool`` ( Jô Barros e Patricia Brentzel), afinal, nada melhor que gente interessante e com respaldo para determinar uma boa matéria, e desde já agradeço a parceria apesar do frio...

     - Frio? Mas que frio? O bom que estou sempre ligada ao bom rock e por isso, tranquilidade total que a garantia de frio não chega, pois onde tem Rock e cachaça, frio não impera...

   Amigo Milton da cachaçaria Macaúva nos proporcionou um intenso papo: do vinho a cachaça, nesses dois dias, e foi bom aprender de verdade que é  desse jeito real e descontraído...


Eis o primeiro produto genuinamente brasileiro: a cachaça!

Brentzel, Jô e eu  -Foto Tripé.



Cachaças - 6 produtores e 2 estados


      ``Pra ser chamado CACHAÇA, precisa de três requisitos: SER FEITA DE CALDO DE CANA, SER FEITA NO BRASIL E ELA TEM QUE TER DE 38 A 48% VOL. ALCOOLICO.``

     Milton diz que qualquer coisa que é feito ``mais de 48% ou menos 38% ``pode ser aguardente, caninha, pinga, mas não pode ser cachaça. Portanto, não existe cachaça de mel, de jabuticaba como se muito vê por aí!


    Explicou as etapas do processo de ``lambicação`` que fazem completamente a diferença de uma cachaça ``dor de cabeça`` e uma cachaça feliz!

As fases -
    A cachaça de cabeça  que é obtida na fase inicial da destilação, é descartada, por ter substâncias mais voláteis do que o ETANOL, por isso não é recomendada! Daí vem a ``do coração``,( e Patricia adorou a parte do coração... ), que é a cachaça propriamente dita, ou seja, aquela de qualidade elevada. E  então a cachaça de cauda,  é descartada também, e muitas vezes aproveitada...
No caso do ``aproveitamento``, é a tal cachaça da dor de cabeça, isso acontece, quando o produtor não quer perder quase 40%, e com isso para dar ``rendimento`` ainda utiliza a cauda!

    Milton  tem um amigo que possui um alambique apenas para usar a cauda transformando em combustível isso sim é uma ideia melhor de aproveitamento...

Carvalho é proibido ser plantado no Brasil - 

   Quando se fala em barrica, o que esta na cabeça das pessoas é o carvalho!Mas é proibida a plantação de carvalho no país, tanto que se importa. E Milton é da simples opinião que se deva VALORIZAR a brasilidade, envelhecendo a cachaça em  nossas madeiras.

    Existe um mercado gigantesco de madeira brasileira para usarmos, essa é a verdade.
Existem madeiras neutras, como o jequitibá e o amendoim, que não alteram a cor da cachaça. As que conferem ao destilado um tom amarelado e mudam seu aroma são o carvalho, a umburana, o cedro e o bálsamo entre outras. Cada uma dá um toque especial, deixando a cachaça mais ou menos suave, adocicada e/ou perfumada, dependendo do tempo de envelhecimento.



    Falamos sobre harmonizar cachaças propriamente com comidinhas de buteco!
Caindo bem com torresmo, polenta frita, calabreza flambada, etc...
E´muiiita coisa para aprender com a cachaça!


     Falamos muito sobre o ``terroir`` das cachaças, como se dá os tabus, e principalmente sobre analise sensorial: degustamos 6 diferentes! Por isso é muita matéria para um post só, assim vamos combinar para o próximo mês quando voltarmos falar aqui sobre as impressões dessa degustação a cega proporcionada pelo responsável e grande estimulador dessa cultura!









      Como eu sempre digo ``Beeeem, Boooom`` : ambiente polivalente, uma ótima cachaçaria, uma cachaçaria que também tem carta de vinho..." e acabei por ganhar do frio, sempre o desejo de retornar...



Fogueira que nos aqueceu tambem...





Nemphis Belle - Silver Bracelet:










Viva a cachaça, o Rock e os amigos!