Translate

domingo, 2 de março de 2014

``Jambon``, se grita: Beaujolais!!!!




Algumas  `aulas` chamaria assim com a minha amiga Rocio (R.Favole)quando uma vez por semana temos que nos reunir para cozinhar.

O JAMBON nos últimos meses tem mais feito parte da minha vida como eu da dele, é o amigo presente, então é dele que posso falar, pois algumas intimidades, e já um caso de paixão e, o convívio, curioso...
Pra começar, cai bem mesmo com os vinhos de Beaujolais, se a iguaria for muito delicada, sim, pois o fato de um Beaujolais ter sido nossa primeira escolha, não significa nenhuma regra, ou porque sempre que se fala ``Jambon``, se grita: Bejaujolais!!!! que são os que combinam 100%, ok?

 Vamos lá isso é em primeira instância pessoal, por que mesmo? porque é uma questão do paladar, então sem discussões graves....(peço isso, porque Rocio e eu já termos quase nos matado, mas caimos na risada depois é claro, porque EU sou uma graça de pessoa,rs )



Isso que já provamos diversas vezes, como entrada com diferentes vinhos, é muito pessoal e vai de acordo com o sabor de cada presunto e isso quer dizer com o acordo da maturação, ou seja quanto maior for, maior será a concentração de sabor.  
A base dessa harmonização bem sucedida é não tentar desafiar o sal, havera sempre uma guerrilha  entre `os amiguinhos` sal e taninos.
Um rosé? dependendo do grau de cura, sim. A opção pelo vinho tinto, vai depender da tanicidade, só ganha valor se a intensidade e textura se encaixam, se a acidez levanta as armas à gordura, e o sal precisa de preferência se comportar como mero coadjuvante...

Quer tocar mesmo tocar no tema clássico? Ok, coloquemos o vinil na vitrola:
As indicações clássicas para um Jambon de Bayonne/ local Irouléguy, um rosé , local, ou da Provence ou Rhône!
 Um tinto: um  Beaujolais ou um Languedoc, ou, ou, ooooou um colheita tardia sob a denominação Pachrenc de vic-bilh!






    Falta alguma coisa? sim, deve faltar, pois não pensou que ia colocar todos os jambon e os vinhos provados num post `chato e comprido` apenas para acabar olhando as fotos, ne?rs.
Sim, porque só falei do jambon(França), e Rocio é italiana, e então temos o Prosciutto (Jambon italiano), e sem falar no `jamón` da Espanha!



E isso só uma “echantillon” da cozinha dela, nada em especial, não quero prometer.



Sobre Irouleguy  citada acima, só rapidamente: é uma região pequena do vinho localizado ao sul de Bordeaux em `Le Pays Basque` - País Basco francês.
A região produz vinhos tintos frutados, tânico e encorpado, brancos picantes. Menos conhecido e, possivelmente, sub-avaliado são seus rosés frutados é produzido em quantidades generosas, principalmente para o consumo local.

Diz-se que pelo seu estilo, frutado e etc e tals, questão de paladar, o torna excelente jogo para culinária local picante, e obviamnet e que estou faalndo aqui do presunto Jambon de Bayonne!
Vinhos tintos do Irouléguy são feitos de Cabernet Franc e Tannat , cultivados há séculos.
Vinhos Branco Irouléguy são feitos de Courbu , Petit Courbu , Gros Manseng e Petit Manseng.
Por hoje chega também de Irouleguy, Jambon,... até porque não estou comendo ao escrever, o que desanima um pouco, se antes eu tivesse comendo enquanto escrevesse...



Touché!



Ps: Obrigada Rocio querida do meu coração!