Translate

sábado, 1 de março de 2014

Rio Grande do Sul - singularidade da uva Moscato Branco!





  É em Farroupilha onde a uva Moscato Branco cultivada corresponde  50% do volume de produção da casta no país, e o bastante para impulsionar  o projeto da Indicação de Procedência de vinhos finos e espumantes moscatéis de Farroupilha.

Foi recentemente há uma semana em que a  Serra Gaúcha recebeu o ampelógrafo (cientista que identifica e classifica as cultivares de videira), francês Jean-Michel Boursiquot, da Universidade SupAgro, de Montpellier (França) e mundialmente conhecido por ter redescoberto no Chile a variedade Carmenère, ele esteve na região para contribuir na confirmação de uma suspeita antigaque a uva ‘Moscato Branco’ presente em  Farroupilha (RS).


A hipótese da originalidade surgiu a partir da observação antiga de que a Moscato Branco cultivada em terras brasileiras se distinguia das uvas moscatéis cultivadas na Europa. Os primeiros resultados indicam que a suspeita é verdadeira, e que a variedade seja realmente exclusiva. A experiência de Boursiquot, conjugada ao trabalho dos pesquisadores da Embrapa, tornou possível a comparação, sem encontrar um par idêntico entre amostras da Moscato Branco cultivada no Brasil e de uvas Moscato existentes em amplas coleções dos bancos genéticos de uva brasileiro e francês. Os estudos seguem, buscando-se mapear a origem e estabelecer a paternidade dessa cultivar, com a expectativa de que, em breve, possa-se conhecer que tipo de uva, afinal, ela é.


 No caso de Farroupilha, em que o trabalho é focado nos produtos moscatéis, o fato de se ter uma variedade que resulta em vinhos com características de gosto e aroma Moscato de qualidade, sendo cultivada somente aqui, aumenta o caráter de originalidade da IP, distinguindo-a na produção de vinhos mundial”, comenta. A também pesquisadora da Embrapa Patricia Ritschel observa, igualmente, que o indício de originalidade aumenta o interesse acerca da cultivar, o que conduz a desdobramentos significativos para os produtores.



Participa do trabalho de identificação, ainda, o pesquisador da Embrapa Uva e Vinho João Dimas Garcia Maia, que, com Patrícia, coordena o Programa de Melhoramento Genético de Uva da Embrapa.


Fonte ifavin




Touché!