Translate

sexta-feira, 6 de junho de 2014

Cave: ``Quantas historias essas paredes contariam?``


Morada de “leveduras”?Mofos de estimação?

       Há vários estilos de caves por aí afora, e ao entrar em algumas consegue-se perceber que não estão todas na mesma linha de concepção.


     Essas caves antigas são uma raridade arquitetônica. Só caves foram projetados para manter o vinho em barris . Ele deve ser enterrado em profundidade, o que lhe permite desfrutar do poder de isolamento da terra e boa ventilação. Isso é fundamental.
    Para ocorrer em excelentes condições, a cave deve ser orientado NE / SW e ter uma abertura para o norte e para o sul. Somente este recurso permite que o vinho a evoluir em condições ideais. O solo deve ser de barro para promover a boa umidade . Além disso, o silêncio ea escuridão são duas condições desejáveis. O último ponto é a temperatura sofrer pouca variação. Deve ser mantida a cerca de 12-13 ° C .

      Esta da foto foi uma das mais ``sombrias`` para mim, porque eu me atrai ao mesmo que recusei ficar sozinha, absolutamente!Senti ali um desconforto ao mesmo queria mapear cada pedaço de parede, luz que houvesse e madeira...



   Li antes em uma reportagem com Jan Pettersen que crê que são moradas de `leveduras`. O proprietário, explica que tais fungos, ou leveduras como prefere dizer, proliferam espontaneamente no ambiente e são a garantia do caráter único do seu Jerez. ``

    Em outros Chateaux percebi  o oposto: a assepsia das instalações, quase nada de cheiro de mofo, e tudo muito iluminado.






             Nas caves de chão liso, corredores acimentados, percebi não só pela mangueira estendida mas que há uma estrutura prática para habitual limpeza da adega, para algumas dessas vinícolas faz parte a regra. Um dos exemplos de adegas assim são as de Napa/CA em sua maioria que conheci através de fotos, posto uma:





    O Chateau Pommard tem corredores de cascalhos. Nenhuma janela, apenas a porta que serve tanto de entrada quanto de saída, e é bem encoberta suas garrafas dispostas, e meio sem nenhum mofo aparente no local onde ficam suas barricas, já com outra estrutura de piso inclusive. 


      Gostei muito dos Trapet mas francamente lá nem senti o mofo, perto das outras caves! Mas parece com uma galeria de arte, um pouco intocável... Já as caves de grandes camadas de mofo que sombreiam  as paredes torna mais emocionante remetendo a idéia de centenária.

     Bem independente do local que atrai muito mofo os vinhos de guarda ficam muito bem vendados em barricas e, ou cubas de inox seja como for! De toda maneira é como jóia ver os fungos tomando as paredes dá uma perspectiva como em Shot in Reims, Champagne/Fr sensação que estão ali há muito tempo preservando histórias... 


Touché!