Translate

domingo, 20 de dezembro de 2015

05 vinhos: Para quê subir ao céu?


Alguns registros meus enquanto rolou a degustação de cinco rótulos... Jean discursou sobre o serviço do vinho, conservação, evolução dos vinhos de guarda e também dos ``jovens``abertos, taninos, discussão de notas olfativas e acerca do estágio atual de evolução em taça...
A grandiosidade residiu no fato de nos surpreender toda série de vinhos tão diferenciados onde cada apresentou relativa particularidade à circunstância que se encontravam!!!

Como um dos vinhos estar  ``bouchonné ``, e outro percebido ``a urgência`` de ser bebido o quanto AGORA*, apesar de ser considerado um JOVEM, porém observado ou imaginando-se que seria provável que ele ``se aguentaria``ali mais uns 4 anos NO MÁXIMO, por sua estrutura...

Enfim cada rótulo com uma surpresa e muito o que se observar... Desde da alquimia que gera na abertura da garrafa até o momento dela ser tomada por nossas bocas! 


















Pronto! Os vinhos desta região sempre irão além de uma paixão transitória. Basta ver como começa para depois nunca terminar. Aromas, intimidade, histórias trocadas, lembranças olfativas e fotografias de encher um baú e gente. É tanta maravilha numa taça só que no meio da degustação se esquece onde esta por diversas vezes, mas para quê subir ao céu não é mesmo?
Rio!

Evento realizado na Wine Soul, Oscar Freire, 540. Preparado ao olhar da sommeliere Eliana Araujo e sua assistente Karina.



À maneira de JC*, a principal nota que fica é: Basta beber. 
Filosofias à parte... falando em ``pontuações e Parker``, a quem deseja atribuir pontuação, fica claro sempre que se tratando desses vinhos não se encaixa a lógica de Parker...


Touché!